Costa Rica desenvolve projeto de implementação de tecnologia estoniana para aumentar a transparência e eficiência no setor florestal | Timbeter
Notícias

Costa Rica desenvolve projeto de implementação de tecnologia estoniana para aumentar a transparência e eficiência no setor florestal

Costa Rica desenvolve projeto de implementação de tecnologia estoniana para aumentar a transparência e eficiência no setor florestal
  • A Tecnologia do Timbeter, baseada em inteligência artificial, procura se tornar parte da certificação de legalidade da madeira na Costa Rica
  • O projeto tem sido desenvolvido desde 2020 e é financiado pelo Centro Estoniano de Desenvolvimento Ambiental (KIK em estoniano)
  • Representantes do Timbeter estiveram na Costa Rica, falaram com parceiros locais e fizeram uma visita de campo à Zona Norte

O Governo da Costa Rica e a empresa de tecnologia Timbeter estão realizando um projeto piloto com o objetivo de apoiar a digitalização da gestão da madeira no país e aumentar a competitividade do setor florestal local. O projeto faz parte de uma cooperação entre o Governo da Costa Rica e o Governo da Estônia, que é executada, a partir do Ministério do Meio Ambiente e Energia da Costa Rica (MINAE), pelo Centro Nacional de Informações Geoambientais (CENIGA) e pelo Sistema de Áreas de Conservação (SINAC), com apoio do Escritório Nacional de Florestas (ONF) e do Colégio de Engenheiros Agrônomos (CIAgro).

Reunião com autoridades do MINAE, 7 de fevereiro de 2022.

Este projeto é financiado pelo Centro de Investimento Ambiental da Estônia. Sua implementação começou em 2020.

De 1 a 8 de fevereiro de 2022, a CEO do Timbeter Anna-Greta Tsahkna e o CTO Martin Kambla visitaram a Costa Rica para uma série de reuniões e visitas de campo, com o objetivo de entender como os processos e sistemas existentes de gestão florestal podem ser melhorados por meio da digitalização, além de construir um roteiro para escalar o projeto.

As atividades da visita incluíram reuniões no MINAE, SINAC, CIAGRO e ONF, uma visita de campo à Zona Norte, onde foram visitadas as empresas Bosques Selectos e Holystone Group. Além disso, foram realizadas reuniões virtuais com representantes do PROCOMER, responsáveis pelo projeto VUI (Janela Única de Investimentos), e com a assessoria de um representante do setor privado.

CO vice-ministro do Meio Ambiente da Costa Rica, Franklin Paniagua, reuniu-se com os representantes do Timbeter para discutir o progresso e as principais conclusões do projeto piloto.

Nesse sentido, Paniagua expressou a importância de promover o desenvolvimento econômico do setor florestal.

“Nosso objetivo é obter claros benefícios do uso da tecnologia para uma gestão eficiente e sustentável do setor. É importante garantir a transparência e a rastreabilidade da gestão, para aumentar a competitividade das empresas que comercializam e exportam madeira no país”, detalhou.

Por sua vez, Rafael Monge Vargas, Diretor do Centro Nacional de Informações Geoambientais, do MINAE, que tem a função de ser a contraparte local do projeto na Costa Rica, destacou que “o projeto piloto visa digitalizar e automatizar processos relacionados à colheita e relatórios para agilizar as operações e usar dados digitais para monitoramento”.

Reunião com o Gabinete Nacional de Florestas, 4 de fevereiro de 2022.

A este respeito, Sebastián Ugalde, Gerente Florestal, Indústria e Comércio do Escritório Nacional de Florestas, indicou que existem oportunidades para o uso desta tecnologia inovadora nas operações florestais, e mesmo como parte do esquema nacional de certificação para a legalidade da madeira que a ONF está desenvolvendo, que busca gerar um diferencial para a madeira legal que é comercializada de acordo com as regulamentações do país.

“Acho muito importante que este projeto piloto seja realizado por meio de um esforço conjunto entre os setores público e privado para oferecer melhores condições de competitividade para o setor florestal, bem como oportunidades de mercado para compradores e produtores, e as demais partes interessadas da cadeia produtiva da madeira”, acrescentou.

Anna-Greta Tsahkna, CEO da Timbeter, concluiu no final da visita: “A transformação digital do setor só pode ocorrer no âmbito de uma aliança entre os setores público e privado, por isso é importante incluir os atores privados no início do processo e ajudá-los a digitalizar suas operações para que possam colher os benefícios da digitalização e medição usando inteligência artificial, em vez de métodos tradicionais.”

Share
LinkedInFacebookTwitterPinterest

Posts relacionados

Notícias, Notícias

Timbeter firma parceria com...

A Timbeter firmou parceria com profissionais da indústria...

Sem categoria

No dia 8 de...

Ana Clara da Costa – Brasil. Qual é...